[Semana 50%] 6 álbuns que conheci e me encantaram no primeiro semestre de 2018

segunda-feira, julho 23, 2018

Durante os últimos seis meses (quase sete) eu escutei de fato muitos álbuns de muitos estilos diferentes. O que decidi apresentar hoje a você, são seis deles com quais eu me envolvi, que me surpreenderam, ou seja, aqueles que eu mais gostei e continuam nas minhas playlists e alguns até compõem a trilha sonora da minha vida. Eu os coloquei num ranking levando em consideração a minha preferência, a minha história com o álbum e por eles terem perdurado muito mais comigo até o momento. 

Todos estão disponíveis no Spotify. Você encontra os links clicando nas capas dos álbuns. 


6. "Art Angels" by Grimes


Clique na imagem para ouvir.

Eu não conhecia essa cantora, até que um amigo insistiu levemente para que eu escutasse os trabalhos dela. Eu comecei por álbum chamado "Visions" e eu realmente gostei do estilo da cantora. Em seguida, eu escutei "Art Angels". De inicio eu senti que me conectei mais fortemente com o primeiro álbum, contudo com o passar das semanas as canções que eu mais procurava para escutar novamente estavam no segundo álbum. 


Ele possui estilo eletrônico bastante experimental, com canções, inclusive, surpreendentes e, às vezes, assustadoras como é o caso de "SCREAM". Não consigo dizer apenas uma canção favorita, acho que é muito interessante ouvir o álbum completo e ter a experiência.

Por ter apreço por esse estilo eu gostei muito do que eu ouvir e se você procura algo diferente, aqui está uma ótima dica. Tanto na sonoridade, quando no visual. 

E voltando ao amigo que me indicou esse álbum (ele voltará aparecer novamente na lista), como ele mesmo diz a cantora o inspirou bastante nas suas produções artísticas. Ele possui um instagram recente com vários desenhos autorais e deixo aqui o link para caso você queira conferir: @tensaopoetica


5. "Liberation" by Christina Aguilera

Clique na imagem para ouvir.
Um álbum muito esperado pelos fãs. Eu não posso me considerar um grande fã da cantora, mas estive acompanhando um pouco do trabalho dela desde um discussão com um amigo da faculdade (sim, é exatamente isso). Quando o álbum saiu, eu não esperei muito para ouvi-lo e posso dizer que não é um primor ou inovador, mas me surpreendeu.

Me surpreendeu por ela arriscar em algo beirando o intimista e sem grandes momentos de pop dançante. O foco são as letras, as melodias e até a metade do álbum há um forte apelo de empoderamento. A segunda metade decai um pouco por focar em músicas românticas e com batidas do hip hop tão comum no pop, mas não tão marcantes, porém boas de ouvir. Os grandes destaques do álbum são "Fall in Line" com Demi Lovato, minha favorita do álbum; "Right Moves", sendo a canção mais diferente e que dá vontade de balançar o corpo; e "Masochist". Além das ótimas canções iniciais que dão todo um clima para a primeira metade do álbum.

O álbum me acompanhou durante alguns trabalhos de faculdade e também em alguns dias de chuva. Por conta da sua sonoridade (boa de ouvir) e por tudo o que eu falei anteriormente, ele ocupa a quinta posição nessa lista. 

4. "Blue Nighbourhood" de Troye Silvan

Clique na imagem para ouvir.
Aqui está mais um álbum que ouvir por indicação de um amigo (o mesmo que indicou "Art Angels", já dá pra perceber que ele tem um ótimo gosto musical). Não é que não conhecesse o Troye Silvan, porém apenas algumas canções como "Wild" e "Youth". Contudo, escutar o álbum completo foi uma boa experiência, afinal muitas das composições me levaram a ter boas ideias para a história a qual estou escrevendo. A canção "Bite" (disparada a minha canção favorita do álbum), conseguiu delinear bem toda a cena que eu precisava compor. Assim como "Fools" e "Talk me down".

Foi um álbum que conseguiu me emocionar e ao finalizá-lo eu sentir que eu perdi tempo não o escutando antes. Talvez eu não tenha me tornado o maior fã do cantor, mas ouvir suas composições me levaram a dizer que é um artista que merece uma atenção. Ele, inclusive, está prestes a lançar um novo álbum diante dos inúmeros singles que estão sendo lançados. 

3. "Girassol" by Kell Smith

Clique na imagem para ouvir.

Quando eu ouvi "Era uma vez" ano passado, a canção entrou para o meu rol de favoritas por dizer muito do que eu sentia, muito do que eu acreditava através de metáforas lindas e com uma melodia emocionante. Faltava um álbum completo dessa cantora e ele chegou em abril de 2018. Eu não esperei um minuto. Assim eu soube que havia sido lançado no Spotify, eu fui escutar.

E cada canção falava comigo de um jeito diferente. E ainda que eu não vivesse muitas das coisas inseridas nas letras, eu as entendia, conseguia senti-las. Alguns desses sentimentos eu passei a sentir algumas semanas depois e essas canções me ajudaram a entende-los, a dar nome à eles. O álbum tornou-se marcante. É impossível definir uma música favorita nele, contudo posso dizer os destaques: "Girassol" é uma canção com uma letra importante; "Ai de mim" é muito sarcástica, me faz feliz"; "Diferentão" é a minha música, perdoe a falta de modéstia. "Maktub" e "Nossa Conversa" são aquelas músicas a que me referi anteriormente, eu nunca vou ouvir essas canções sem lembrar de determinadas palavras, de determinados momentos. Elas embalaram momentos da minha vida nesses últimos meses.

O CD tem uma pegada pop brasileira com canções que vão de baladas românticas a canções inspiradas sobre causas sociais. A sonoridade é bastante suave e com melodias muito criativas.

2. "Staying at Tamara's" by George Ezra 

Clique na imagem para ouvir.

Eu já conhecia? Já conhecia. E não há uma canção desse cara que eu não goste. Desde o primeiro álbum que eu ouvir com mais atenção ano passado eu passei a acompanhar o trabalhar de George Ezra. E esse segundo álbum bem mais pop que o anterior me acompanha toda manhã a caminho dos trabalhos, assim como toda vez que eu preciso ir para a faculdade. 

Todas as vezes que eu escutar esse álbum eu lembrarei do segundo semestre da minha segunda faculdade. Ele me lembra de amigos, me lembra de momentos engraçados das aulas e fora dela. Me lembra de um trabalho bem trabalhoso. Me lembra de sorrisos específicos. Me lembra da vontade imensa de sair pelo mundo e conhecê-lo.

"Get Away" e "Shotgun" são as que eu escuto quase no loop eterno algumas vezes. Por favor, vá curtir esse álbum nessa tarde de segunda feira. 

1. "Good News" by Rend Collective

Clique na imagem para ouvir.
Talvez você nunca tenha ouvido falar dessa banda, então eu vou lhe apresentá-la. 

Rend Collective é uma banda cristã do norte da Irlanda. Seu estilo é baseado no folk rock e com uma boa concepção experimental. São canções muito criativas, com instrumentos muito diferentes. Eles produzem muitos projetos ao vivo e são bastante estilosos. Mesmo você que não costuma consumir música cristã, eu indico para conhecer algo diferente nicho e talvez se encantar pelo folk.

Mas, vamos ao álbum que já faz parte do meu coração. O álbum anterior "Build your Kingdom here" (2017) já havia me emocionado pela sua sonoridade e força nas canções. O novo álbum mantém o estilo folk, agora com muitas inspirações em músicas escocesas (com a gaita de foles) e canções country. É um CD muito alegre e que nos envolve com letras que nos dão esperança em um futuro melhor. 

E foi justamente por isso que ele está na primeira posição dessa lista, pois nos momentos mais sombrios desses últimos meses ele me levou para mais perto da esperança e da liberdade. É impossível também proferir favoritas, mas destaco "Rescuer (Good News)" que dá nome ao álbum, "Life Is Beautiful" que abre o álbum e me emociona; "Counting every blessing" que é uma canção para você escutar com calma e "Resurrection day" que é aquela canção que me deixa com um sorriso de orelha a orelha.

É um álbum para aquecer o coração.


Espero que vocês tenham gostado e #FicaADica desses álbuns incríveis. 


Jônatas Amaral

O que é a #Semana50% ?

É uma semana com posts  sobre as melhores coisas que eu pude ver, ler e ouvir nos primeiros seis meses do ano. Você pode conferir todos postos buscando pela tag #Semana50% .


You Might Also Like

0 comentários