A Queda da Antiga Nárnia

sábado, maio 20, 2017


Tudo está desmoronando a cada segundo sem mostrar o que será construído no lugar do que antes existia. Sinto que estou caçando no escuro um novo lugar para viver, um lugar que seja só e exclusivamente meu. Um lugar seguro, mas sem maldade, mentiras ou orgulho.

É intrigante como nos apegamos aos lugares que construímos, ainda que estes sejam construídos com as piores matérias primas. É um sentimento de ter construído algo com suas mãos, mas de forma frágil e sem cuidado.

Existem tantas Nárnias para se ir, mas não tenho os mapas certos para chegar até elas. Os mapas estão confusos, sem chaves ou legendas.

Olho para estantes. Releio as histórias e escuto os sons em busca do lugar certo para estar. Muitos dizem que o caminho é certeiro, que não tem como errar. Certezas demais em um mundo incerto.

Peço ajuda, mas não me encontro. Talvez essa seja uma jornada solitária com alguns encontros importantes ao longo da estrada.

A minha antiga Nárnia era feita de gelo e dominada por uma carinhosa, mas cruel Rainha Branca. Pedro, Suzana, Lúcia e Edmundo, com a ajuda de Aslan, a destruíram. Junto com eles voltei ao mundo real e agora vivo no impasse de querer voltar à antiga Nárnia, por ser um local conhecido, ou continuar a caçar uma nova entrada entre os poços, a fim de encontrar um novo local para fincar um novo pilar para um novo castelo. Uma nova morada.

Diga a todos os reis de todas as terras que a antiga Nárnia não existe mais.


Por Jônatas Amaral

You Might Also Like

0 comentários