RIPCHIP: A VALENTIA DE UM RATO


Era grande a dúvida que Caspian tinha em suas mãos. Chegara ao ponto mais extremo da viagem até então. Já haviam conquistado e encontrado o que vieram buscar, mas para quebrar um feitiço e voltar para casa, uma decisão precisava ser tomada: partir para o derradeiro leste e ir onde ninguém sabia como chegar, nem tinha ideia do que poderia se encontrar, ir até o fim do mundo, ao País de Aslam ou não?

Se iam voltar ou se iam chegar ao fim do mundo dependia da determinação e coragem de seguir em frente.

"As crônicas de Nárnia", para aqueles que se permitem ver, possui inúmeras metáforas, símbolos e ensinamentos cristãos. Nesta passagem resumida acima, contida no livro "A viagem do peregrino da alvorada", somos apresentados à um discurso ou por uma decisão que pode confrontar. Tal passagem me animou a ser valente como um RATO, não um rato qualquer, mas como Ripchip. Eis o que ele diz:

" - Você não diz nada, Ripchip? - sussurrou Lúcia.
- Não. Porque acha Vossa Majestade que devo falar? - respondeu o rato, numa voz que quase todos ouviram. - Os meus planos estão traçados. Enquanto puder, navegarei para o oriente no Peregrino. Quando o perder, remarei no meu bote. Quando o bote for ao fundo, nadarei com as minhas patas. E, quando não puder mais, se ainda não tiver chegado ao país de Aslam, ou atingido a extremidade do mundo, afundarei com o nariz voltado para o leste, e outro será líder dos ratos falantes de Nárnia." (p. 499-500)
O mais digno deste Rato é que ele disse e cumpriu a sua palavra. Ripchip é um personagem de honra, falho, 'indesistível' mas que sabia o que queria: aproveitar o melhor desta terra. Mesmo com este desejo, sabia que havia um lugar que era de fato o seu Lar e não desistiria de chegar até ele, ainda que as dificuldades aparecessem.


Há um lugar que todo cristão de verdade sonha morar, que deseja chegar. Uma terra que mana leite e mel, que fica para lá de um rio que jorra calmas, doces e vivas águas. Águas que matam a fome e a sede. Um lugar em que o Rei é um Leão da Tribo de Judá.

Algo que me confronta na jornada de Ripchip é o fato deste ser considerado para muitos de nós um dos bichos mais asquerosos de todos. Pequeno, mas que tinha em Aslam sua esperança, não queria ser um covarde, queria lutar, queria morrer pelo que acreditava. Onde está o Cristão que quer lutar contra o pecado? Que não se acovarda diante das dificuldades, mas ao invés disso olha para o céu e ora? Onde estão as pessoas que querem lutar e morrer pelo que acreditam?

Ripchip possuía apenas um grande erro: o seu orgulho.

Ele tinha primazia pela honra, não queria envergonhar o que ele era e nem a quem ele servia, e para isso, ás vezes, tornava-se imprudente e colocava-se em um posto maior, contudo aprendeu com as palavras de Aslam que não devia preocupar-se tanto com o seu ego. Isto aconteceu quando perdeu a cauda, observe as sábias palavras de Aslam destinada ao rato:

" - Mas para que você quer uma cauda? - perguntou Aslam. 
- Senhor - replicou o rato -, é verdade que, sem ela, posso comer e dormir e dar a vida pelo meu rei. Mas a cauda sempre foi a honra e a glória de um rato. 
- Parece que às vezes você se preocupa demais com a sua honra. - disse Aslam. 
- Rei poderoso sobre todos os Grandes Reis - respondeu Ripchip -, permita recordar-lhe que a nós, os ratos, foi dado um tamanho muito pequeno, de modo que, a não ser que conservemos a nossa dignidade, alguns dos que medem as pessoas aos palmos seriam bem capazes de se permitir brincadeira de mau gosto às nossas custas. Por isso é que não perco a oportunidade de afirmar que todo aquele que não sentir esta espada bem perto do coração deve evitar, na minha presença, toda referência a ratoeiras e queijo frio. Não admito, Senhor... nem ao mais alto idiota de Nárnia. 
- Por que todos os seus seguidores estão de espada na mão? - Perguntou Aslam. 
- Com licença de Vossa Majestade - disse o segundo rato, que chamava Pipcik. - Estamos todos prontos a cortar a cauda se o nosso chefe ficar sem a dela. Não queremos ostentar uma honra que é negada ao Grande Rato. 
- Ah! - rugiu Aslam. Vocês venceram! São muito corajosos. Não pela sua dignidade, Ripchip, mas pelo amor que o liga ao seu povo e, mais ainda, pela bondade que o seu povo mostrou para comigo, há muitos anos, quando roeu as cordas que me prendiam à Mesa de Pedra (se bem que tenham esquecido, foi nessa ocasião que começaram a falar), você terá de novo a sua cauda." (p. 390-391)
 Foi pelo que ele era destinado a ser e designado a fazer, pela coragem, pelo temor, não pela sua dignidade. Há coisas maiores que nosso ego e orgulho diante dos povos.

Muitos desistem com muita facilidade. Se vemos um oceano a frente preferimos sentar na praia ao invés de enfrentá-lo. Nos sentimos fracos, é normal, mas nos acomodamos, dizemos para nós mesmos: - Não sei fazer! - Não tenho forças! - O que posso fazer?

Por que esquecemos tanto de Deus? Nas dificuldades o buscamos, mas queremos nós mesmos resolver tudo através da nossa própria força. Nossa força quando estamos sozinho é insuficiente. Esquecemos de Deus e que tudo podemos naquele nos fortalece.

Temos desistido demais. Temos nos acovardado demais. Será que quando vermos o reino dos céus tão próximo de nós vamos focar nossos olhos naquele lindo horizonte ou daremos total atenção as ondas da moda, de sons, ondas de papel, de pixels?

Diante de uma adversidade o mais fácil, talvez, seja desistir, porém, acredite, uma das piores coisas da vida é estar no caminho certo e por conta de um tronco na estrada, desistir.

É difícil continuar, pois nos incapazes  com o medo, mas diante da angustia, diante do medo, olhe para cima dos montes, pois é de lá que virá a ajuda. 


MUITO OBRIGADO!
Por Jônatas Amaral

Jônatas Amaral

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.

2 comentários:

  1. Oi! Ainda não li as crônicas de narnia então não posso opinar sobre o personagem. Mas esse livro é cheio de interpretações e significados, da uma certa curiosidade para saber qual é o real sentido. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
  2. Ain que mensagem mais linda *O*
    Adoro personagens que nos motivam assim!


    beeijão :)
    Olá galera, tudo bem?Espero que sim.Sei que sumi daqui( e do canal em geral,rs) mas prometo que vou voltar com novidades boas.Prometo que voltarei mais determinada.Esse vídeo foi meio no acaso, mas está me impulsionando para ser uma youtuber de sucesso,rs.Espero que tenham gostado!

    http://www.carolhermanas.com.br/

    ResponderExcluir