[SERIES] "WESTWORLD" (2016) - ABOUT EP01XS01


Este texto não pretende ser uma resenha, mas sim um comentário um tanto empolgado sobre esta série, contudo tomarei todo o cuidado para que não haja spoilers.

“WestWorld” (2016) é uma série a qual, sem dúvida nenhuma, me convenceu em suas primeiras cenas, bastou os primeiros minutos para que eu estivesse completamente envolvido na narrativa e interessado em me aventurar no universo criado. Ao fim, do primeiro episódio (que tem mais de uma hora de duração) a certeza se tornou absoluta.

Em uma rápida busca no Google sobre a série descobrir que ela é o remake de um filme de 1973, escrito e dirigido po Michael Christon, mesmo autor de Jurassic Park. Desta forma, a série possui um material base interessante e impactante a ser trabalhado.

A série narra a história de um parque de alta tecnologia que proporciona a população a uma espécie de imersão no mundo do faroeste, onde não há regras ou leis, onde se pode fazer o que quiser sem temer represálias. O universo é composto de diversos androides, os mais importantes são chamados de Anfitriões que tem por função recepcionar os Recém-Chegados, ou “Hospedes” que é como a equipe técnica chama os usuários. 

No episódio de estréia da série,uma nova atualização criada e instalada pelo criador do universo, Robert Ford (Anthony Hopkins), chamada “devaneios” faz com que uma série de androides comecem a dar “defeito”, o que obrigará um força-tarefa para identificar os problema. Desta forma, é possível perceber que os robôs estão cada vez mais... Humanos.

A temática e a estrutura narrativa desse primeiro episódio são surpreendentes, pois uma trama complexa se tornou divertida e envolvente sem ser didática ou mesmo cair em clichês. “A revolução das máquinas” é um tema bastante conhecido e revolucioná-lo é uma tarefa muitas vezes complicada. Já o gênero faroeste é algo que vez ou outra é revisitado e constantemente renovado de forma muito primorosa, aqui  parece que, mais uma vez, se alcançara isto.


Dolores e Teddy formam um casal de androids dentro do universo criado pelo parque; ambos os personagens são carismáticos e saber que eles são androides torna a relação ainda mais instigante, pelo fato de que pode ser impossível eles ficarem juntos, mas eles são robôs não é mesmo? Nem vão sentir a perda? Se não fosse pelos “Devaneios”.

É tão importante pensar sobre tecnologia nos dias de hoje que uma série como essa se for extremamente bem feita e pensada pode gerar uma gama de reflexões profundas ao mesmo tempo em que diverte. As séries da HBO tem me surpreendido muito nesse aspecto. Acredito, que esta produção tem tudo para ser um dos grandes sucessos da temporada e uma das melhores. Vou aguardar seu desenrolar.

Não posso deixar de comentar sobre o elenco e, obviamente, não deixarei passar a participação brasileira no elenco. Rodrigo Santoro aparece num momento muito peculiar e espero que ele apareça bem mais, pois seu personagem é muito legal. Para ser mais direto, todo o elenco deste primeiro episódio é sensacional, possuem atuações seguras e muito bem dirigidas, principalmente aqueles que interpretam robôs. 

As histórias criadas para serem vividas dentro do parque são interessantes, desta forma neste primeiro episódio temos duas histórias diferentes, mas interligadas para torcer e acompanhar. A primeira é o universo real, cheio de cinza e manipulação, ou outro é o universo fictício que visualmente parece mais com o nosso mundo. Isto é extremamente incrível!

O primeiro episódio me surpreendeu bastante pelo seu poder de entretenimento e reflexão sutil. Possui personagens fortes e expressivos e uma direção geral impecável. Torço bastante que a qualidade me surpreenda ainda mais nos próximos episódios. 

Por Jônatas Amaral

Jônatas Amaral

Sou Jônatas Amaral, 22 anos. Paraense, Brasileiro. Formado em Letras - Língua Portuguesa. Um sonhador por natureza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário