[RESENHA] "...Ismos: Para entender o Cinema" de Ronald Bergan

 

O que é preciso para entender o cinema? 

Sempre acreditei que para aprender sobre cinema você precisa ler muito sobre ele, mas acima disso você precisa assistir filmes e ir ao cinema. Não existe melhor meio de conhecer uma arte do que consumi-la com prazer e cuidado crítico.

O cinema é uma arte pela qual tenho uma paixão indescritível. Desde muito jovem acompanho filmes, lançamentos de filmes, com o meu contato com a internet este universo se tornou muito mais amplo para mim. Diariamente, acompanho sites e mais sites sobre cinema e constantemente vou a biblioteca atrás de livros sobre cinema, e ao mesmo tempo que vejo e vejo muitos filmes.

Em uma das minhas visitas aleatórias à biblioteca da faculdade, encontrei este livro que jurei ser uma boa leitura para "o fim do semestre". Eu estava certo. 


"...Ismos: para entender o cinema" de Ronald Bergan, não pretende ser um livro enciclopédico ou fechado, pretende analisar o cinema em torno de variados "ismos" e não pelos gêneros em si. Através de denominações o autor procurou classificar alguns filmes de acordo com seu movimento artístico, histórico que delinearam a história do cinema.


O livro tem uma formatação bem orgânica, ou seja, ela é de fácil entendimento. O livro possui 5 sessões que irá desde o momento do Cinema Mudo (1895-1927) até o Cinema Moderno (1960-2010), contudo a ideia que o autor propõe é que não existe movimentos extremamente fechados no tempo. Por exemplo, eu posso ter um movimento como o "realismo" que surgiu numa determinada época, teve seu ápice, sua queda, mas pode até perdurar até os dias hoje com seus traços característicos. Desta forma, o autor deixa claro na sua introdução que apesar de um gênero está inserido em uma sessão especifica, este pode perdurar até os dias de hoje, é o caso da 'animação' que está inserida na sessão "Cinema Falado" (1928-1938) pelo fato de ter se iniciado e tido seu primeiro ápice neste momento, contudo prevalece até hoje.


É esta dinâmica que o autor objetiva mostrar ao leitor: todo e qualquer arte, inclusive o cinema, possui traços e caracteristicas distintas ao longo do anos, mas não significa que todos eles morrem, muitos deles tornam-se influências para outros movimentos no futuro. Por conta disto, o livro ainda possui uma sessão de links para outros "ismos", a fim de que o leitor possa fazer a comparação e assimilar como os movimentos se entrelaçaram.

Desta forma, é de vital importância que o leitor não pule a introdução e as instruções iniciais da dinâmica do livro, pois assim poderá entender como o autor construiu o seu texto e não ficar perdido principalmente nas datas. 

A edição é extremamente bem feita. Inteligemente e ricamente ilustrada. Cheio de referências a filmes, cineastas, com um glossário e uma lista de filmes no final do livro muito importante a fim de procurarmos saber mais sobre eles. Alias, este é um dos pontos que autor destaca, para entender mais do que se está falando sobre cada "ismo" é necessário assistir aos filmes, assim poderemos ter mais clareza e visualizar bem os principais traços. O autor faz questão de sugerir duas obras chaves para entender cada movimento.


Por fim, é um livro que super indico para todos aqueles que querem conhecer mais sobre o cinema numa leitura leve e fluída, e também para aqueles que já tem um bom conhecimento e querem ter um material fácil de consultar e bastante sintético para introduções. 

Por Jônatas Amaral.

Jônatas Amaral

Sou Jônatas Amaral, 22 anos. Paraense, Brasileiro. Formado em Letras - Língua Portuguesa. Um sonhador por natureza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário