[#OSCAR2015] Whiplash – Em Busca da Perfeição (2014)








“Whiplash – Em Busca da Perfeição” é, que fique claro desde o inicio, um filme perigoso e incrivelmente sufocante. É esses dois adjetivos que fazem dele um dos melhores filmes do ano e do gênero.


“Whiplash” narra a história de Andrew Neiman (Miles Teller) um estudante de bateria de jazz do melhor conservatório dos Estados Unidos. Pretende ser um grande músico. E sua grande chance é ser visto e escolhido por Terence Fletcher (J.K.Simmons), um professor extremamente exigente, para a banda da escola.

Não demora muito para o talento de Andrew ser vislumbrado pelo professor . Andrew é recrutado para ser baterista reserva da banda. Porém, é ali que Andrew ver a face verdadeira do professor; este que utiliza métodos duros, humilhantes, torturadores para que seus músicos cheguem à perfeição exata. 

É um filme que não possui um posicionamento claro em relação ao seu tema. Até onde você iria para alcançar a perfeição? Abriria mão de tudo? Usaria todos os métodos e todas as artimanhas para tal?


Andrew é um rapaz talentoso que aguenta com até certa resistência os métodos do professor que ele quer tanto agradar e que ver como um ótimo mentor para seu futuro. Ele está começando um romance com uma jovem, a dispensa para seguir o seu sonho. Dá o sangue ,literalmente falando, pela aceitação, para chegar ao topo. Miles Teller é um ator que interpreta o personagem da forma que ele precisava ser interpretado, inseguro, mas consciente. Determinado, amedrontado, para que no ápice do filme  tenhamos um dos melhores e mais sensacionais finais de um drama.


Do outro lado da moeda, temos um J.K.Simmons em uma atuação digna do Oscar de melhor ator coadjuvante que ele recebeu. É um personagem que necessita de um alto grau de explosão e um grau de sentimento para ser convincente. O professor Terence tem um método que segundo ele é o necessário para alcançar aquilo que ele tanto almeja: Grandes músicos que façam história. Para ele as duas piores palavras da língua inglesa é “Good Job” ou em português “Bom Trabalho”, o elogio é um instrumento de fracasso. A Critica, a Humilhação não deixa o aluno cair no marasmo.

É nesse ponto que o filme não tem um posicionamento. O Roteiro joga para o telespectador avaliar e decidir, principalmente quando temos o gran finale do filme. Valeu a pena toda a humilhação e tortura? Talvez sim. Por este motivo é um filme perigoso.


Tecnicamente o filme é muito bem produzido. Com uma edição fantástica e incomum. Uma direção de atores competente. Uma trilha sonora vibrante, aos amantes de Jazz será um prato cheio. É um filme que possui um roteiro filmado de forma dinâmica. O Filme nunca fica cansativo, ele vai crescendo e crescendo ao longo do tempo, até o grande ápice. Uma falha talvez seja as histórias secundárias que tem seu papel, mostrar o que Andrew está abrindo mão, mas que vez ou outra se tornam desinteressantes, diante da trama principal que é impactante.

“Whiplash- Em busca da Perfeição” é um filme que nos faz refletir e possivelmente chegar a conclusões estranhas e repensáveis. E um filme sobre a busca da perfeição. Fica a pergunta é possível alcançá-la?


**************************************************************************************
"Whiplash - Em Busca da Perfeição"
Direção de: Damien Chazelle
Roteiro de: Damien Chazelle
Com: Milles Teller, J.K.Simmons, Paul Reiser, Melissa Benoist... 
Indicado a 5 Oscars Incluindo Melhor Filme. 
Vencedor de 3 Oscars: Melhor Ator Coadjuvante (J.K.Simmons), Melhor Montagem e Melhor Mixagem de Som. 

Por Jônatas Amaral

Jônatas Amaral

Sou Jônatas Amaral, 22 anos. Paraense, Brasileiro. Formado em Letras - Língua Portuguesa. Um sonhador por natureza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário