Domingo "Em Família" #3 - Homem e Mulher - Igualdade!


Depois de alguns domingo sem trazer a coluna, voltamos para discorrer, não sobre a novela como um todo, mas sim sobre uma cena em específico.

Um cena que me foi marcante e com toda certeza marcante e que fez refletir todos aqueles que tiveram a possibilidade de assisti-la. Principalmente em uma semana que a figura da mulher estava em foco. Esta cena, responde pelo nome de o primeiro embate de Helena e Laerte depois de tanto tempo. 

Com a morte do pai de Laerte, Helena volta a cidade onde queria esquecer tudo o que passou, mas é inevitável como esse passado ainda é presente em sua vida. Deixou marcas profundas que não foram cicatrizadas. 

Em Meio a tantas lembranças e um salão que no passado foi presente para ambos, os dois se reencontram em circunstâncias adversas.

E tudo parece querer ser jogado, expelido, vomitado depois de tanto tempo. Pelo menos em parte, isso acontece. 

Laerte acusado por Helena, rebate relembrando à ela, que também foi cúmplice no crime que Laerte cometeu. 

Um embate belo, triste, envolvente, violento, que mostrou o quanto esse casal é complexo e tem muito a dizer. 

Entre muitas as quais foram as inteligentes e bem trabalhadas falas deste diálogo, uma revoltou e fez pensar. 

Confira no vídeo abaixo:


Confira a cena na integra, AQUI!

Mais que uma cena de tapas, tão características das novelas. Um cena de embate que consome as almas desses personagens. 
O que meio que abismou a todos foi o tapa retribuído de Laerte, afinal temos a Lei "Maria da Penha". Porém, uma frase veio para fechar o ciclo e fazer pensar:
" - Acha, que só você, por ser mulher tem esse direito. - Diz Laerte"
Claro, nada justifica um homem bater em uma mulher, mas e hoje quando mulheres também não tem respeitado seus maridos. Afinal, casamento é isso: comunhão. Quando não há respeito tudo se quebra. 
Foi uma cena que me fez pensar e refletir, além de outras coisas, sobre casos que já vi: Mulheres que põe em um estado de tal soberania, dizendo sou "independente", sou mulher tenho meus direitos. Se considera assim, tão cheia de si, que coloca seu marido abaixo, inferior a tudo. 
Helena tem culpa no cartório e isso é um fato. O Tapa foi um reflexo de igualdade também. 
Vamos pensar?
Quem é melhor o homem ou a mulher?
Quem é o mais forte?
Quem tem que subjugar quem?
Não deveria haver igualdade?
Um mulher deve ser sobrepor a seu marido a ponto de humilha-lo? Ou mesmo um homem tem esse direito?

Veja, que aqui não estou querendo justificar as agressões, em particular a agressão de Laerte, querendo colocar culpa em cima de alguém. O que a cena me parece querer levantar, e também gostaria de levantar é justamente essa igualdade entre ambos. Onde ninguém deve ser maior e nem menor que ninguém. 
Mulheres com os mesmos direitos que os homens e vice-versa.

Levanto a bandeira de NÃO A VIÔLENCIA CONTRA A MULHER!
E também NÃO A VIÔLENCIA CONTRA O HOMEM!

Acredito que hoje tais violencias são distintas de alguma forma.
Existe a violência, absurda, de homens que agridem física e psicologicamente suas mulheres. E graças a Deus, temos um lei que as protege. Basta que tenham a coragem de denunciar.


E também, vejo isso, que há a violência, mais psicológica de mulheres contra homens também, e que ninguém quer falar e muitos querem fechar os olhos. Porque?

Quem é culpado nisso tudo? O Homem a mulher? Ou mesmo a sociedade?
Que hoje tem, muitas vezes, pregado que um tem de ser melhor que o outro, e não um sistema de igualdade que, sim, foi constituído no passado e foi deturpado. 
Precisaria de mais um post para falar sobre isso, mas acredito que o significado da palavra 'submissão' hoje é completamente deturpado.
Isso acontece nas famílias e deve ser discutido.
Igualdade! Mas, claro uma igualdade que cada um, também, tenha um papel, um dever a cumprir.

Que "Em Família" possa continuar levantando questões. Trazendo, sim, a realidade muitas vezes doída da sociedade. 

Neste post, as opiniões com certeza são muito bem vindas. Levanto a discussão e quero poder ouvir você que aqui ler. Abrir o pensamento. Uma Alma Crítica, estão comigo? Deixe seu comentário.

Espero que tenham gostado e até o próximo domingo.

Por Jônatas Amaral


Jônatas Amaral

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.

Nenhum comentário:

Postar um comentário